Pessoas com deficiência visual enfrentam inúmeros obstáculos no processo de inclusão na sociedade. Essas dificuldades podem representar restrição de acesso à informação, educação, cultura e a muitos outros benefícios oferecidos aos cidadãos. Isso acontece não apenas pela falta de implementação da linguagem Braille, mas também pela presença de barreiras físicas, como calçadas irregulares e pisos inadequados.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Brasil há um total de 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual, sendo que 582 mil são cegas. Foi com o objetivo de ajudar essas pessoas que Douglas Toledo criou a ViiBus, uma startup que visa modernizar os pontos de ônibus das cidades e facilitar a vida dos cidadãos que têm dificuldades para embarcar no transporte público.

No que consiste essa solução?

O projeto da ViiBus pretende "atacar" em duas frentes. A principal delas são os pontos de ônibus, que, equipados com um painel Braille com esquema de cores e mensagens de voz, avisam o deficiente visual quando o transporte está chegando. A outra modificação pretendida será nos próprios ônibus, que terão um indicador visual e sonoro que informa o motorista sobre a necessidade de parada no ponto.

Essa solução se apoia no conceito de Internet das Coisas, que integra diversos dispositivos inteligentes através da rede. “Diariamente, os deficientes visuais enfrentam inúmeros obstáculos de inclusão social, como acesso físico, informação, educação e cultura. Acredito que o projeto vai além do conceito de cidades inteligentes, pois ele é inclusivo e transforma as cidades em humanas e acessíveis, trazendo uma mudança ideológica para a sociedade”, comenta Toledo.

Como surgiu essa ideia?

Quando estudava Engenharia de Telecomunicações na PUC Campinas, Douglas Toledo encontrava diariamente uma senhora com deficiência visual em seu caminho para a universidade. O jovem se surpreendeu com as dificuldades que ela enfrentava para embarcar no transporte público, o que serviu de inspiração para que ele desenvolvesse uma solução inteligente para acesso ao ônibus.

O projeto do ViiBus se transformou em seu Trabalho de Conclusão de Curso, com um protótipo que garantiu o reconhecimento de melhor TCC da universidade em 2014. Toledo já estava inserido no mercado de trabalho em início de carreira, mas, com as perspectivas e a repercussão positiva de sua solução, decidiu se dedicar integralmente a esse projeto para torná-lo uma realidade para a população de várias cidades.

Desafio Cisco de Inovação Urbana

A ViiBus é uma das cinco startups vencedoras do Desafio Cisco de Inovação Urbana, programa que visa selecionar empresas que ofereçam soluções inovadoras e inteligentes que estejam comprometidas a melhorar a qualidade de vida na cidade do Rio de Janeiro.

Essas startups foram selecionadas entre 15 finalistas e estão participando de um programa de aceleração profissional apoiado pelo Centro de Inovação da Cisco, no Rio de Janeiro. O objetivo é que as cinco soluções sejam implementadas no Porto Maravilha nos próximos meses.

“O objetivo do Desafio foi incentivar o ecossistema de inovação e o desenvolvimento de aplicações de software digital em cima da plataforma urbana conectada que a Cisco está implementando no Porto Maravilha. O que os finalistas do Desafio Cisco nos mostraram foram propostas que procuram formas diferentes, criativas e inovadoras de resolver problemas do cotidiano de cidades grandes, como a mobilidade, a gestão de serviços públicos, a melhoria dos transportes públicos e das telecomunicações”, afirma Nina Lualdi, Diretora Sênior de Inovação para América Latina da Cisco.

O Desafio faz parte da iniciativa da Cisco de Inovação Urbana no Porto Maravilha, um dos projetos da empresa para contribuir para a construção de um legado duradouro para a transformação da cidade do Rio de Janeiro. Através de ações dos setores público e privado, o Porto Maravilha será um modelo de bairro inteligente, com zonas residencial e comercial, rede de transporte público e infraestrutura de telecomunicações eficientes.

A visão da Cisco, alinhada com a da Prefeitura do Rio de Janeiro, é tornar a área do Porto Maravilha um exemplo único de um "Bairro Mais Inteligente e Mais Humano", através de uma plataforma interligada e serviços inteligentes. Assim, cidadãos e visitantes poderão se conectar não somente entre si, mas também com a cidade e com o governo.

Você acredita que é possível criarmos uma cidade verdadeiramente humana através da tecnologia? Comente no Fórum do TecMundo!

Este publieditorial foi patrocinado pelo Desafio Cisco de Inovação Urbana.