Nesta terça-feira (16), o Grupo Telefónica reuniu convidados e jornalistas para a inauguração oficial do novo escritório da Wayra, aceleradora de startups com foco em tecnologia. A academia já atuava há anos no Brasil impulsionando empreendedores criativos e inovadores, sendo anteriormente localizada no bairro de Berrini, zona sul de São Paulo. Agora, o espaço foi transferido para o bairro Bela Vista, próximo da Avenida Paulista.

Mais do que simplesmente estrear uma casa nova, a incubadora também anunciou a integração de cinco novas startups em seu programa de aceleração. São elas: a NetSupport (uma espécie de marketplace de profissionais de TI), a Gupy (ferramenta de recrutamento corporativo), a Agra (soluções para o setor agropecuário), a IndWise (soluções de gestão industrial) e a Conube (serviços de contabilidade online).

Quem dirigirá a academia é Renato Valente, executivo que também assume o cargo de country manager da Telefónica Open Future (programa global que abrange todas as iniciativas relacionadas a empreendedorismo do Grupo Telefónica). Valente tem mais de 12 anos de experiência atuando em áreas de planejamento estratégico e desenvolvimento de negócios, sendo um famoso empreendedor, investidor-anjo e membro da ONG Anjos do Brasil.

Tal como em seu antigo espaço, o novo escritório da Wayra Brasil possui um visual bastante despojado. Os “escritórios” onde as startups trabalham são bem abertos, justamente para incentivar a troca de ideias entre os profissionais que estão navegando no mesmo barco.

Novidades em Minas Gerais

Essa não é a única novidade que o Grupo Telefónica reservou aos empreendedores brasileiros. A fundação também anunciou que, nos próximos meses, abrirá um espaço de crowdworking em Minas Gerais, em parceria com o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel) e com a Ericsson, que apoiará startups interessadas em explorar mercados como Internet das Coisas e redes. A ideia é incentivar os jovens talentos locais a colocarem suas ideias em prática, já que eles poderão usufruir de uma infraestrutura pronta e mentoria gratuita de especialistas.

Quais foram suas experiências com empreendedorismo no Brasil? Comente no Fórum do TecMundo