Sony liberou hoje o seu relatório fiscal do terceiro trimestre do período 2015-2016 e agradou seus acionistas com um lucro líquido de US$ 1 bilhão. O lucro operacional foi de US$ 1,69 bilhão, saindo de uma receita total de US$ 21,5 bilhões de outubro a dezembro. Segundo a empresa, as vendas do PS4 foram o grande destaque em toda a corporação, seguidas por filmes produzidos pela Sony Pictures.

Foi anunciado pela companhia japonesa recentemente que o console já vendeu mais de 35 milhões de unidades globalmente desde o seu lançamento. Em comparação, a Microsoft teria vendido mais de 19 milhões de Xbox One basicamente no mesmo período, mas esses dados não seriam oficiais.

A divisão do PS4 teve um crescimento de receita de 10,5% em comparação com o mesmo período de 2014, acumulando US$ 4,89 bilhões. A receita operacional subiu 45,5% nessa divisão.

O que também ajudou a aumentar o bolo da Sony nesse trimestre que passou foi a receita da Sony Pictures. A divisão juntou US$ 2,18 bilhões, o que é 26,9% maior do que no período anterior. Filmes como "Spectre" e "Hotel Transilvânia 2" foram os que mais arrecadaram para o estúdio.

A queda que não tem fim

A divisão mobile da Sony vem sofrendo perdas atrás de perdas há anos, e a história não foi diferente nesse último trimestre fiscal. A venda de smartphones, tablets e vestíveis gerou uma receita 14,7% menor, mas o lucro operacional subiu consideravelmente, para US$ 201 milhões.

Isso quer dizer que a empresa finalmente parou de perder dinheiro nessa área, mas ainda continua perdendo espaço no mercado. Esse lucro só pôde ser alcançado por conta das reduções em pesquisa, desenvolvimento e também em marketing.

Mesmo assim, esse não foi o maior problema da Sony nesse último período. O setor de componentes, que inclui sensores de imagem, gerou prejuízo no último trimestre por conta do desaceleramento do mercado mundial de smartphones. Isso é mais ou menos uma surpresa, já que a divisão sempre foi muito lucrativa. A receita caiu 12,6%, para US$ 2,08 bilhões e houve prejuízo operacional de US$ 97 milhões.

O que a Sony deve fazer para salvar sua divisão de smartphones da falência? Comente no Fórum do TecMundo