Atento às tendências do mercado e de olho no potencial de inovação do público, o Sebrae marcou presença mais uma vez na Campus Party, que teve sua nona edição realizada em São Paulo entre os dias 26 e 31 de janeiro. Com uma programação bastante robusta, o órgão teve como destaque a presença do convidado Felipe Matos, que apresentou aos visitantes sua palestra “10 dicas para tirar sua ideia do papel e montar uma startup de sucesso”.

O jovem fundador da Startup Farm – que investe em empresas e ideias promissora em início de carreira – subiu ao palco Empreendedorismo na quarta-feira passada (27) para dar uma verdadeira aula à galera que compareceu à feira especificamente para absorver o máximo de conhecimentos e indicações e aplicar tudo isso em seus projetos e negócios. Como o material é importante e deve interessar mesmo a quem não conseguiu dar um pulinho no Anhembi como campuseiro, você pode conferir abaixo uma compilação das dicas:

1) Conectando suas ideias

Em geral, quando se está idealizando um projeto, há um certo medo natural de que possam roubar a sua invenção. De acordo com o profissional, não é preciso se preocupar com isso nesses primeiros estágios, já que o importante é exatamente expor o material, conversar com o máximo de pessoas possível e, claro, participar de eventos do segmento. Essa troca de experiência tende a ser muito lucrativa para polir suas ideias.

2) Validação é tudo!

Mesmo o conceito de empreendimento mais genial pode render um belo choque de realidade caso apenas você decida que o investimento é bom. Para ter certeza de que a empreitada pode se desdobrar em oportunidades, é preciso levar o material aos seus clientes em potencial, apresentar a solução e ouvir o que eles têm a dizer. Esse “trabalho de campo” pode tomar tempo, mas costuma resultar em economia de dinheiro e refações a longo prazo.

3) Monte um time

Fazer tudo sozinho ou aprender como construir cada elemento necessário para alavancar seu projeto nem sempre é possível – ou recomendado. Assim, muitas vezes é necessário deixar o orgulho de lado e encontrar pessoas com as competências certas para tocar o projeto adiante, utilizando sua rede de contatos para preencher posições nos campos de gestão, tecnologia, operações e vendas – os quatros principais campos de uma startup, segundo Felipe.

4) Lidando antecipadamente com os sócios

Embora se associar com outros empreendedores possa facilitar – e muito – a divisão de responsabilidades em um novo negócio, o desentendimento ente sócios ou a desistência de um dos líderes da empresa costuma ser um dos principais motivos de falha nesse segmento. A solução, de acordo com o palestrante, é utilizar um tipo de acordo conhecido como Vesting, bastante popular nos EUA. Ele estabelece um tempo mínimo para que os associados se mantenham na ativa e estipula o que acontece caso alguém pule fora antes da hora.

5) Modelos importam (e muito!)

Aqui, tudo o que vale é tentar, tentar mais e depois mais um pouco, até a exaustão. É preciso bastante esforço por conta do empresário iniciante para encontrar o modelo de negócio que mais se encaixa em suas ideias. Nesse estágio, as hipóteses levantadas ajudam a decidir que elementos, propostas de valor, clientes, relacionamentos, canais, parceiros, atividades, recursos, fontes de receita e estrutura de custo funcionam para o produto em desenvolvimento. Não é raro que essa etapa possa fazer até com que o projeto tome novos rumos.

6) Entenda as métricas

Compreender quais são os elementos que mais dizem sobre o sucesso do seu negócio é algo fundamental. Por isso, fugir das chamadas “métricas de vaidade” é uma boa dica, já que curtidas, compartilhamentos, visualizações e outras medições tradicionais nem sempre correspondem a números relevantes para o empreendimento. Uma vez que seja determinado o que importa, usar esses conceitos como bússola auxilia a otimização do modelo.

7) Agilidade de execução

Com o material e os dados obtidos nos passos anteriores, a ordem é não deixar a empolgação esfriar e bater perna para conseguir apoio à empreitada. Instituições especializadas, incubadoras de projetos, empresas que aceleram novos negócios e programas do próprio Sebrae são os grandes responsáveis por manter uma startup nos trilhos e alavancar seu sucesso e crescimento.

8) Planejamento e recursos

Ser pró-ativo e ter um plano de captação de recursos é essencial para seu projeto, já que alguns produtos exigem múltiplas rodadas de investimento para serem devidamente financiadas. Saber qual é o destino do capital obtido e estabelecer a participação acionária dos investidores é importantíssimo para evitar surpresas desagradáveis. Conseguir apoio financeiro governamental também pode fazer parte da equação, podendo ser angariado em plataformas como Startup Brasil, Seed, Edital SENAI de Inovação e PIPE Fapesp.

9) Cultura e valores

Durante o desenvolvimento da startup, às vezes é fácil perder a identidade inicial do projeto. Por isso, é importante uma manutenção contínua da cultura interna, para reforçar os valores e a visão que atraíram investidores e colaboradores ao time. Lembre-se que nem sempre dá para manter as coisas funcionando com as pessoas apenas interessadas no dinheiro ou na promessa de sucesso futuro: nesse ramo, é preciso muito amor à camisa.

10) Não se esqueça de crescer

Caso tudo isso tenha dado certo, a regra é não se acomodar e almejar sempre mais. Se o seu negócio for local, por exemplo, vale a pena se arriscar e buscar o mercado nacional ou, quem sabe, tentar emplacar o negócio no resto do mundo. Para realizar seus sonhos ou ultrapassá-los completamente, a ideia é não se restringir por limites iniciais do projeto.

--

Se o conteúdo da palestra apresentada na CPBR9 aguçou o seu lado de empreendedor ou se você já estava de olho em uma oportunidade de colocar suas empreitadas em prática, é possível conferir uma versão expandida do material no site do Sebrae. Além de promover o tema, a página fornece um link para download da cartilha do projeto em formato PDF.

Já pensou em levar adiante a sua ideia de startup? Comente no Fórum do TecMundo!